SIGA O EM

Polícia vê provas robustas e critica argumentos da defesa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 17/07/2010 09:06

Amanda Almeida

O delegado Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP), reagiu na sexta-feira aos argumentos da defesa de Bruno e sustentou que a polícia já tem em mãos elementos suficientes para afirmar que Eliza Samudio, de 25 anos, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza, de 25, foi assassinada, no início de junho. Os advogados do atleta questionam a legitimidade das provas reunidas contra os oito suspeitos do crime. “As investigações caminham para o fim. Basta apenas cortar algumas arestas, acertar alguns detalhes”, disse Moreira, em entrevista coletiva.

Na próxima semana, os investigadores pretendem ouvir Bruno e Luiz Henrique Romão (Macarrão), que, se seguirem orientação dos advogados, deverão manter o silêncio. “Os acusados adotaram o repertório de responder que só falarão em juízo. Mas os depoimentos já prestados são contundentes”, argumenta Moreira. Segundo a chefe do Departamento de Homicídios de Contagem, Ana Maria dos Santos, no depoimento na Vara da Infância e Juventude de Contagem, antes de se calar, por orientação de seu novo advogado, o menor, primo de Bruno, revelou mais detalhes. “Ele contou que Bola perguntou a Eliza se ela era usuária de droga. Diante da negativa, ele pediu que a jovem ofertasse a sua mão. Nesse momento, Bola engravatou Eliza. Ela começou a tremer e babar”, descreveu.

De acordo com a delegada, estarrecido com a cena, o menor teria saído do cômodo da casa de Bola para a garagem. “Ele relatou que, pouco depois, Bola apareceu com uma sacola preta na mão, que aparentava estar pesada, e jogou a mão de Eliza aos cães”, contou Ana Maria. Segundo ela, o menor confirmou que, amedrontado, pediu ajuda ao tio, que falou sobre o crime à Rádio Tupi, no Rio de Janeiro.

Confira o especial sobre o caso Bruno

A partir dos depoimentos do menor e de Sérgio Rosa Sales (Camelo), também primo de Bruno, os delegados apontam participação do goleiro no crime. “Declarações mostram que ele esteve no sítio e soube do crime. É importante dizer que já temos material contra ele. Afinal, em entrevista, ele chegou a dizer que não via Eliza há dois meses. Foi provado que isso é mentira”, afirmou Moreira. A delegada Alessandra Wilke, do Departamento de Homicídios de Contagem, apresentou uma cronologia do crime. Segundo ela, em 4 de junho, Eliza foi levada por Macarrão à casa de Bruno, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. “Ela ficou lá durante um dia e meio. E, desde lá, já estava vivendo em cárcere privado”, apontou.

Em 5 de junho, Eliza e o bebê, que seria filho de Bruno, teriam sido obrigados por Macarrão e o menor a viajar para Belo Horizonte, em uma Range Rover do goleiro. Fernanda Sales, apontada como namorada de Bruno, e o goleiro também teriam partido para a capital, em uma BMW. Na madrugada, do dia 6, eles teriam ficado por cerca de quatro horas em um motel, em Contagem, na Grande BH. “Macarrão, o menor, Eliza e o bebê ficaram em uma suíte; Fernanda e Bruno em outra. A conta foi paga pelo goleiro e funcionários do estabelecimento afirmam que houve movimentação entre um quarto e outro. Em certo momento, o bebê foi levado para o quarto de Fernanda e Bruno”, relatou Alessandra.

Um churrasco teria sido feito no sítio de Bruno, em Esmeraldas, na Grande BH, em 8 de junho, enquanto Eliza era mantida em cárcere privado. No dia seguinte, o menor e Macarrão teriam levado Eliza à casa de Bola, onde teria ocorrido o crime. Os delegados não souberam responder se o crime fora planejado no Rio de Janeiro. “O menor diz que foi convidado para dar um susto em Eliza, que já havia causado muitos problemas a Bruno”, disse Alessandra, sustentando que as agressões começaram ainda no Rio.

A Polícia Civil tem dúvidas sobre a participação de Dayanne do Carmo, de 23, mulher do goleiro, que teria ficado com o filho de Eliza, depois do crime. “Ainda faltam informações para identificarmos qual a real participação de Dayanne”, afirmou Moreira. Os delegados se mostraram impressionados com a tranquilidade de Bruno e Macarrão.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Willian
Willian - 18 de Julho às 23:26
se a policia queria os holofortes conseguiram a unica coisa que não conseguirão foi concluir inquerito de dizer quem fez o que! só acreditam no conto da carrochinha do Menor kkk mais miranbolante que a Eliza foi comida por cão e lá não tinha nada! acho q os delegas e que foram comido nessa!
 
Willian
Willian - 18 de Julho às 23:23
Todas as provas da policia serão simplesmente desqualificada!esse tal ex policial vai ganhar uma boa indenização do Estado já que a policia se perdeu!! só rindo desse delegado Edson mta incompentencia, e a delega lorinha kkk e uma piada deve ter se formado em direito na pior faculdade de MG!
 
Willian
Willian - 18 de Julho às 23:19
Provas Robustas kkk menor aperece iventa uma hitória mirabolante a policia acredita, eliza foi dada pra cachorro comer, litros e mais litro de sangue e nenhum vestigio na casa do Bola! Meus Deus qaunta incompetência quiseram ficar dando coletiva todo dia pra imprensa
 
bsonia
bsonia - 18 de Julho às 10:52
Estou torcendo pra q todos sj culpados para q estado ñ sofra processo por danos morais
 
israel
israel - 17 de Julho às 22:33
Acho que gente por aqui não está sabendo interpretar alguns comentários.
 
Marcos
Marcos - 17 de Julho às 15:05
Adriana Adriana Adriana eles ainda nao foram condenados, so esta sendo acusados. Voce como uma boa advogada deveria saber disto muito bem ne? Querida se continuar repetitiva eles vao pegar no seu pe em!!!
 
luciane
luciane - 17 de Julho às 14:52
Eu tbém acho q falta muito para esa história acabar ,..e tem muitos inocentes nisso tudo ...pode ser até q o bruno deve estar sendo vitima de um grupo .
 
Marcus
Marcus - 17 de Julho às 13:16
Djanira cade você minha filha. E o Juvenal que até agora não apareceu. Hoje tem Ipatinga na serie B.
 
Marcus
Marcus - 17 de Julho às 13:10
Gente ninguem viu a Djanira eo Juvenal. Preciso falar com eles. Hoje tem Ipatinga na serie B. Ricardo Eletro continua liquidando.
 
anderson
anderson - 17 de Julho às 11:18
inocente! As provas já são mais que suficientes para acusar esse bandido!! O Sangue no carro do Bruno foi comprovado que é dela....ou vai dizer que ela estava menstruada.....só falta isso!!!!
 
Adriana
Adriana - 17 de Julho às 10:51
Agora, se for pra satisfazer a população, poderemos ter uma condenação precipitada ou com falta de provas, o que é muito ruim já que a justiça diz que pior do que libertar um culpado é condenar um inocente.