SIGA O EM

Investigadores acreditam que mulher de Bruno participou do crime

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/07/2010 08:53

Álvaro Fraga /Estado de Minas

Pelo menos quatro mulheres envolvidas direta ou indiretamente em uma trama de sedução, amor, violência e morte. E, no centro de uma história macabra, que beira à ficção, o goleiro Bruno Fernandes, ex-jogador do Flamengo. Esta é uma das certezas que emergem das investigações da Polícia Civil de Minas Gerais sobre o sequestro, desaparecimento e possível assassinato da estudante e modelo paranaense Eliza Samudio, de 25 anos, com quem Bruno teria tido um filho. Além da vítima, as outras personagens femininas desse mistério são Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, de 23, casada legalmente com o jogador; a carioca Fernanda Gomes Castro, de 31, também envolvida sentimentalmente com Bruno; e a dentista Ingrid Oliveira, de 24, que se apresentava como noiva do atleta.

Dayanne está presa desde a semana passada e, a cada dia, sua situação se complica mais. O adolescente de 17 anos, primo de Bruno, que confessou ter participado do sequestro, contou à polícia que Dayanne estava no sítio e teve contato com a ex-amante de seu marido enquanto Eliza estava no cativeiro. O menor também disse a seu novo advogado que as duas mantinham contato frequente e que, depois de algumas discussões por causa do caso extraconjugal, haviam chegado a uma convivência pacífica.

Para policiais que participam das investigações, Dayanne teria participado do planejamento e da execução do sequestro e sumiço de Eliza, na companhia de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e de Bruno. De acordo com a avaliação dos investigadores, Dayanne, que conheceu Bruno quando os dois ainda eram crianças e teve duas filhas do casamento com o jogador, não aceitava a pressão que Eliza fazia sobre o goleiro, exigindo o teste de paternidade e o pagamento de uma pensão para ela e para o filho, e também considerava a modelo paranaense a principal responsável pelo fracasso de seu casamento.

Ainda de acordo com essa linha de apuração, Dayanne, para se vingar, teria convencido ou até mesmo dado dinheiro a Macarrão para sequestrar e matar Eliza Samudio. Esta história também é confirmada por Fernanda Gomes, que já teve seu mandado de prisão decretado pela polícia do Rio de Janeiro e está sendo procurada. Na terça-feira, Fernanda compareceu espontaneamente a uma delegacia carioca e, na conversa com os policiais, disse que Dayanne seria a mandante do sequestro de Eliza, planejado por Macarrão, e que Bruno só teria sabido do caso de sequestro e agressão à modelo.

Cúmplice


Mas a situação de Fernanda também não é nada confortável. A Polícia Civil de Minas acredita que ela, que conheceu Bruno no ano passado, no Rio, seria a mulher loura que o adolescente, primo do goleiro, disse ter tomado conta do bebê de Eliza durante o período em que a vítima e seu filho foram mantidas em cárcere privado na casa do jogador, no Recreio dos Bandeirantes, um bairro de classe média alta na capital fluminense. Ontem, Fernanda e Ingrid seriam ouvidas pela polícia carioca, a pedido da polícia mineira, mas os depoimentos foram transferidos para segunda-feira, para dar tempo aos advogados de defesa de orientarem as clientes, uma vez que a intimação só foi entregue na quinta-feira.

A polícia também suspeita que Fernanda teria passado a noite de 5 para 6 de junho em um motel em Contagem, na companhia do goleiro Bruno, de Eliza Samudio, da criança e de mais três adultos. Desde sexta-feira, agentes da Polinter do Rio de Janeiro procuram Fernanda. O advogado Ércio Quaresma, que defende o goleiro e outros investigados no caso, informou ontem à tarde que havia assumido a defesa da mulher e que tentaria impedir sua prisão. "Fernanda ficou sabendo que a polícia estava atrás dela e passou mal. Ela está cercada pela polícia e a imprensa e vou lhe dar assistência. Parece-me que ela está com o bilhete premiado”, disse Quaresma, referindo-se a um mandado de prisão.

Quanto à dentista Ingrid Oliveira, em princípio ela será ouvida como testemunha. A jovem conheceu Bruno no fim do ano passado, alguns dias depois de Eliza Samudio ter informado à imprensa que esperava um filho do goleiro e que ele e mais dois homens a teriam sequestrado para obrigá-la a fazer um aborto. Mesmo com Bruno casado, ele e Ingrid anunciaram o noivado. Na ocasião, o atleta chegou a afirmar que havia encontrado a paz com a dentista. Por enquanto, não há nenhuma evidência do envolvimento dela no sequestro e sumiço de Eliza.