Eu odeio Carnaval: mapa interativo mostra como fugir da folia

Onde não se pula e a serpentina dá lugar ao sossego

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 995504, 'arquivo_grande': '', 'credito': '', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/01/22/727575/20160122175841464140o.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}, {'id_foto': 995505, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Roneijober Andrade/Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'C\xe2nion Boca da Serra, no distrito Senhora do Carmo, em Itabira\n', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/01/22/727575/20160127185454872652i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 22/01/2016 17:55 / atualizado em 27/01/2016 18:56

Gustavo Perucci , Zulmira Furbino


Você anda cansado e prefere se recolher a cair na folia durante o carnaval, mas não sabe para onde ir? Não se preocupe. O Turismo fez um apanhado de quatro programas diferentes em Minas para fugir de bloquinhos, pandeiros e tamborins. De um retiro espiritual até uma aventura em Gonçalves, no Sul do estado, passando por São Gonçalo do Rio das Pedras e a Serra dos Alves. Deleite-se, relaxe e recobre as energias durante este feriado.

 

Ipoema e Serra dos Alves

Roneijober Andrade/Divulgação

Ipoema e Senhora do Carmo (foto do alto), onde está a localidade Serra dos Alves, são dois distritos de Itabira, na Região Central do estado. O primeiro tem vários atrativos turísticos e o Museu dos Tropeiros é o principal deles. O distrito também conta com o Parque Estadual do Limoeiro, que tem várias trilhas e cachoeiras, como a Alta e a do Patrocínio Amado, além de um lindo mirante com igrejinha. O acesso de carro é bom e bem sinalizado. No distrito, a infraestrutura também é boa. Há 14 pousadas, que oferecem 320 leitos, um restaurante self-service de comida mineira que atende no almoço e no jantar e outro que serve frutos do mar, além de uma pizzaria na praça e um café na rodoviária, sem contar diversos bares. Já a Serra dos Alves é um lugarejo com apenas três pousadas e um restaurante. A vila está bem na divisa com o Parque Nacional da Serra do Cipó, na nascente do Rio Tanque. As cachoeiras, como a Braúna, e os cânions Boca da Serra e dos Marques são imperdíveis. Em torno da vila, há outras cachoeiras, às quais se pode ter acesso com uma hora ou uma hora e meia de caminhada em trilhas totalmente preservadas, com serviço de guias. O restaurante oferece comida mineira típica da região servida à la carte e também há um bar e uma mercearia. O local recebe no máximo 500 pessoas, que podem se hospedar nas pousadas ou alugar casas de moradores.

 

São Gonçalo do Rio das Pedras

São Gonçalo do Rio das Pedras é um pequeno distrito mineiro, vizinho da famosa Milho Verde, ambos localizados entre o município do Serro, na Região Central do estado, e Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. Um contraponto à sua vizinha, que tem vocação para a curtição, São Gonçalo é o lugar ideal para fugir da rotina, relaxar e aproveitar a natureza. O casario é típico do período colonial mineiro e há atrações naturais, gastronômicas, além de um movimento ligado à saúde e à cura. São, ao todo, seis cachoeiras: Grota Seca (um sumidouro, a cerca de 7km da cidade), do Comércio (tem 86 metros de queda, fica dentro da cidade e tem um moinho antigo como atração à parte), Rapadura, Cadete, Retiro e Pacu, esta localizada no encontro do Rio Jequitinhonha com o Córrego São Gonçalo. Fazendo uma caminhada guiada pela mata, também é possível visitar a Cachoeira do Bananal, quase desconhecida, que termina num poço de águas negras ladeado por um paredão de pedra. O lugarejo conta com uma pizzaria que serve pizzas de comer de joelhos e a taberna Bar do Pescoço, cuja tradição é a batata frita com alho, à portuguesa, servida em gamelas. O trabalho dos artesãos, reunidos na Associação Cultural e Comunitária Sempre Viva, vale a pena ser visto, e há saborosos doces caseiros. Outro importante atrativo do local durante o ano são os festivais gastronômicos, como o Tira-Tira e o Festival de Frango Caipira.

 

Gonçalves

Gonçalves, no Sul de Minas, é o lugar ideal para quem quer fugir
da folia. Localizada num dos pontos mais bonitos da Serra da Mantiqueira, com gastronomia e pousadas charmosas, a cidade é cercada de montanhas rochosas de relevo acidentado, florestas remanescentes da mata atlântica, picos de até 2.100 metros de altura, cachoeiras de águas cristalinas e fauna e flora ricas. Os picos e as corredeiras do Rio Capivari são perfeitos para a prática de esportes de aventura e a pesca de truta. O município faz parte do Circuito Serras Verdes do Sul de Minas, que inclui também Campos do Jordão e Monte Verde. Não perca o pôr do sol na Pedra de São Domingos. Voltada para o Oeste, sem obstáculos, dá para ver o movimento do sol enquanto ele cai no horizonte. O passeio de três horas é feito pela empresa Mantiqueira Ecoturismo. Há também passeios 4X4, trilhas para caminhada, boia cross, rapel, canoagem, parapente, asa delta, bicicleta, escalada guiada e tirolesa. Na cidade, aproveite a culinária de montanhas e não deixe de levar para casa as geleias da Senhora das Especiarias.

 

Retiro Brahma Kumaris

Apesar das características da data, embalada pelo samba, suor e cerveja tão típicos do Brasil, para quem busca sossego, o carnaval é uma ótima oportunidade para fazer um balanço interior. Há quatro anos, durante a festa de Momo, a organização Brahma Kumaris oferece um retiro espiritual num lugar chamado Portal da Paz, na Serra do Cipó. Este ano, a prática está agendada para o período de 6 a 9 de fevereiro. O retiro, que terá como tema os quatro arquétipos míticos da humanidade – o guerreiro, o curador, o mestre e o visionário – vai ser conduzido pelo professor Rodrigo Ambros. A partir de seminários, experiências e meditação, a ideia é identificar e trazer a força interior a partir desses arquétipos. A prática visa mostrar como ser um guerreiro na vida sendo vitorioso e curando a si mesmo, estabelecendo um sonho prático a ser alcançado.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Janine
Janine - 02 de Ferveiro às 09:22
Gostei de terem enfatizado minha cidade, Itabira. Parabéns ao Uai! Só duas correções: o correto é Museu do Tropeiro, e Cachoeira do Patrocínio Amaro. Todos serão muito bem vindos a Itabira. Show de bola!
 
juliano
juliano - 24 de Janeiro às 14:07
..... o mesmmo q trocar 6 por meia duzia!!! Estrada cheia, um monte de gente mal humorada nas barracas de farofa das cachoeiras carros com som alto tocando fukfuk(funk).... Melhor lugar é na igreja.
 
Janine
Janine - 02 de Ferveiro às 09:22
Se vc não conhece o lugar, melhor não opinar... O Uai deu sugestão de lugares sossegados, e não com carros tocando funk. E quem garante que a igreja é o melhor lugar? Cultuando seres que nem sabemos se existem?
 
ALLAOUA
ALLAOUA - 23 de Janeiro às 12:55
Podem acrescentar a cidade de Catas Altas, ao pé da Serra do Caraça: bandinhas, marchas e natureza, com máximo sossego.
 
Janine
Janine - 02 de Ferveiro às 09:23
Boa ideia.