Domingo tem grande movimento de blocos em BH; confira a lista

Levantamento do Estado de Minas mostra os bloquinhos de rua gratuitos da cidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 999203, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/01/22/727565/20160122173626561250o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 22/01/2016 17:35 / atualizado em 07/02/2016 07:55

Daniel Camargos /


Divulgação


DOMINGO, 7 DE FEVEREIRO
Pena de Pavão de Krishna
7h • O PPK, como é carinhosamente chamado pelos foliões azuis, desfilará pelo quarto ano consecutivo.O pavão é misterioso e os organizadores deixam para informar local e horário no último momento. Ano passado, desfilou na Lagoinha e atraiu cerca de 7 mil pessoas. Neste ano, o  ritualístico PPK concentra no bairro Jardim Pirineus, na Praça Arlinda Bonsucesso. O ritual é precedido de café da manhã comunitário, com frutas, pães, bolos e sucos.
Antes de o trio se deslocar, os foliões fazem alguns minutos de silêncio e entoaram o OM, que, na visão do hinduísmo, ajuda a sintonizar com a vibração do universo. O hino do bloco já é conhecido por grande parte que segue o pavão. A letra: “Aflorou, afoxé, ritmo da nossa fé / É Belô, afoxé, todo mundo andando a pé/No carnaval, te conheci/ Transcendental, te segui”.

Unidos do Samba Queixinho
13h30 • Com a bateria mais poderosa do carnaval de BH os foliões com os rostos pintados de caveira mexicana ensaiam exaustivamente e tocam durante horas pelas ruas da capital. No ano passado, saíram da Praça da Liberdade e arrepiou com  300 ritmistas.  Neste ano escolheram sair na Pampulha. 
Av. Otacílio Negrão de Lima, 13940 - Pampulha

Alcova Libertina
17h • "Chuta, chuta, chuta/Chuta a família mineira”. Quando os músicos da Alcova cantam o refrão do bloco - acompanhados em uníssono pelos libertinos da plateia - o carnaval da capital atinge seu grande momento. Desde 2010, quando foi criado um ateliê para artistas de diversas áreas, incluindo músicos, no Bairro Santa Tereza, o braço carnavalesco do coletivo é a catarse absoluta do carnaval belo-horizontino. O repertório tem muito rock, com clássicos e sucessos recentes repaginados pelo suingue da banda, mas não abandona a origem, pois contempla sucessos da Tropicália e Mutantes. Entre os integrantes do bloco estão músicos profissionais, com carreiras paralelas em outras bandas e discos gravados, como Thiakov e Paim, da banda Ram.

Local ainda não definido

Ordináááários (foto)
12h30 • O bloco homenageia o grupo É o Tchan e o nome veio de um dos bordões dos vocalista Compadre Washington. Nas ruas de BH desde 2014 o bloco foi uma das surpresas do carnaval passado e arrastou mais de 4 mil foliões pelo bairro Funcionários.
Av. Brasil, 1036 - Santa Efigenia

Bloco do Batiza
14h • O repertório do bloco surgido em 2012 tem MPB, marchinhas e ritmos nordestinos. O jeitão tropicalista é claramente inspirado em um dos ícones do movimento, pois o nome remete a música do Tom Zé: Batiza esse Neném.
Esquina de Francisco Sales com Sapucaí

Bloco dos Valetes
14h • O termo "valetar" é uma palavra usada pelos membro do bloco para se referirem à sedução. " Há valetes de todos os naipes, cada um investindo em suas próprias características para tentar acompanhar a dama. É o Dom Juan, o Fábio Júnior interior de cada um movido por criatividade e muito amor", explica o bloco em sua página no Facebook.
Praça Lions - Floresta

Bloco da Fofoca
15h30 • Desde 2014, o Bloco da Fofoca traz às ruas de Belo Horizonte a alegria do carnaval aliada à valorização da cultura popular brasileira. Em 2016, a proposta do Bloco é contagiar os foliões com o ritmo do Carimbó, dança típica do norte do país!
R. Espírito Santo, 757 - Centro

Bloco Angola Janga
16h • Bloco Afro de axé dedicado ao empoderamento negro através de suas práticas e repertórios.
Esquina da Guajajaras com Bahia

Vou ali e volto
12h • Bloco formado por amigos do Padre Eustáquio. A saída é na pra Praça Tejo, próximo do Aeroporto Carlos Prates.
Praça Tejó - Padre Eustaquio

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600