No último dia de carnaval, blocos arrastam foliões pelas ruas do Rio

Em Bangu, na zona oeste, o estreante Só-Ca-Ne-Las fez, no fim da tarde, um pagodão preparatório para o desfile de outro bloco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 21/02/2012 18:17

Agência Brasil



O último dia oficial de folia no Rio ainda é marcado pela animação de diversos blocos que arrastam foliões pelas ruas da cidade. Em Bangu, na zona oeste, o estreante Só-Ca-Ne-Las fez, no fim da tarde, um pagodão preparatório para o desfile de outro bloco, o Virilha de Minhoca, que sai à noite, com uma homenagem aos bambas do bairro e relembrando sambas de anos anteriores, além de marchinhas. Um dos fundadores do Virilha, o professor Celso Ribeiro, conta que o carnaval de rua na região reúne muitas famílias, em clima de paz e alegria. Ele acrescentou que o Só-Ca-Ne-Las, que em 2012 desfila pela primeira vez, é formado por filhos, sobrinhos e netos dos integrantes do Virilha de Minhoca, um dos blocos mais tradicionais de Bangu, criado há 34 anos. %u201CNaquela época, a gente tinha um grupo de chorinho que se inspirava em outro, muito famoso, o Sovaco de Cobra, da Penha [zona norte do Rio]. Como a gente, humildemente, não era o sovaco, criou o Virilha de Minhoca, que faz sucesso até hoje por aqui e já deu cria, com o Só-Ca-Ne-Las%u201D, contou. Pelos bairros da zona sul e no centro também houve desfiles de blocos nesta terça-feira. O irreverente Carmelitas, criado em 1990 por amigos que frequentavam os bares de Santa Tereza, na região central da cidade, saiu pelas ladeiras do bairro e fez uma homenagem ao motorneiro Nelson Correa da Silva, que morreu durante o acidente com um bondinho em agosto do ano passado. A tragédia deixou mais cinco pessoas mortas e mais de 50 feridas. Já em Ipanema, na zona sul, o Rio Maracatu, com dezenas de ritmistas e dançarinas, animou os foliões com o folclore pernambucano. Homens e mulheres vestidos com saias de chita e fantasias levaram à orla carioca um pouco da manifestação popular nordestina.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600