Luxo nas fantasias e samba no pé marcam desfiles das escolas de samba em BH

Agremiações empolgam 20 mil pessoas no Bulevar Arrudas, no Centro. Blocos puxam cordões nos bairros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 410524, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Maria Tereza Correia/EM/D.A Press.\n', 'link': '', 'legenda': 'A Acad\xeamicos de Venda Nova levou para a avenida carro aleg\xf3rico com Fusca e entusiasmou as arquibancadas ', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2012/02/21/279242/20120221105733661301o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 21/02/2012 10:53 / atualizado em 21/02/2012 11:11

Luciane Evans / , Ludymilla Sá /Estado de Minas

Maria Tereza Correia/EM/D.A Press.


Tambores, cores e muito samba. Com esses ingredientes, Belo Horizonte estremeceu ontem ao som das escolas no Bulevar Arrudas, na Praça da Estação, no Centro, fechando os desfiles oficiais em BH. Seis escolas passaram pela passarela da Avenida dos Andradas, levando alegria e animação a um público estimado de 20 mil pessoas, o maior da história do evento. Em outras regiões da cidade, blocos de rua agitaram milhares de foliões até o fim da noite.

Com arquibancadas e camarotes lotados, o desfile das escolas de samba, que começou sem atraso, às 20h, foi considerado pelos foliões um dos melhores já ocorridos na cidade. Até mesmo o ex-prefeito Maurício Campos, que governou de 1979 a 1982 e era chamado de o prefeito do carnaval, não economizou elogios. “Está tudo muito bonito. As autoridades têm obrigação de promover um bom evento carnavalesco. Na minha época, o desfile era na Avenida Afonso Pena e ninguém reclamava”, lembrou.

Uma das grandes torcidas do público para o primeiro lugar é para a Acadêmicos de Venda Nova, que homenageou o cantor Milton Nascimento, levando a música e muitas cores para a avenida. “Não estamos aqui para brincar. Já ganhamos duas vezes e, este ano, com a homenagem ao cantor, pretendemos ganhar novamente”, disse o diretor de carnaval da escola, Genildo Cajá.

Amanhã, às 15h, na Câmara Municipal, BH vai conhecer a escola de samba vencedora,em escolhida de 20 jurados. O primeiro lugar do Grupo A recebe R$ 30 mil e o campeão de blocos caricatos levará R$ 12,5 mil.

Blocos arrastam milhares nas ruas
Maria Antonieta, Carlota Joaquina e Branca de Neve juntas na folia de Momo. Só mesmo o carnaval de rua de Belo Horizonte para proporcionar o encontro de personagens que mexem com o imaginário coletivo. Ontem, mais um encontro entre blocos na capital mineira agitou a festa. E sobrou irreverência e criatividade, além de muito brilho, plumas, paetês, confete e serpentina.

BATUCADA
O Bloco Corte Devassa puxou a folia. Sob o lema Maria Antonieta, Carlota Joaquina e todas as devassas da história, os foliões deram início à festa no Viaduto de Santa Tereza. E seguiram em batucada, com repertório de marchinhas antigas bem variado, pela Avenida dos Andradas até a Praça Duque de Caxias, em Santa Tereza. “Estou adorando, achando maravilhoso. Era isso que estava faltando em Belo Horizonte. Desde sexta-feira, acho que já participei de uns 15 blocos”, comenta a estudante Danielle Luce, de 31 anos, em meio a anjos, deuses gregos, padres e ninjas.

Os moradores do Funcionários também assistiram a um dos encontros mais animados entre blocos desde o início da folia em BH no sábado. Coletivo do Delírio e Bloco do Grito começaram a esquentar os tambores na Rua Aimorés, esquina com Avenida Getúlio Vargas, e seguiram recrutando foliões pelas ruas do bairro até a Praça João Pessoa, em frente ao Colégio Arnaldo. “Tem sido fantástica a festa em Belo Horizonte. E ficará ainda melhor quando começar a atrair turistas também”, opinou o publicitário Vinícius Ferreira, de 29 anos.

ANIMAÇÃO
A paulista Fabiana Steele, de 37 anos, concorda. Há dois anos, Belo Horizonte entrou em seu roteiro de carnaval. “Sou casada com um mineiro e a gente sempre ia curtir o carnaval de rua do Rio, mas já ficou inchado. Daí, ficamos sabendo do daqui. Está começando agora e é bom também para a criançada”, comentou a arquiteta, que desfilava com uma cobra no pescoço e de mãos dadas com o filho Francisco, de quatro anos.

Para o professor Angelo Bagni, de 29 anos, o carnaval de rua de Belo Horizonte não deve aos de outras cidades. E ele fala sobre isso com propriedade. “Sou de Sabará, onde há um dos melhores carnavais do estado. Lá, o bicho pega no domingo e na terça-feira. Nos outros dias, vim para cá e estou gostando demais. Está indo tão bem que não vai demorar muito para ele ganhar projeções bem maiores.”

Estreante na folia da capital, a também professora Maria Carolina Coelho, de 27 anos, já planeja o próximo ano. “Estou achando o máximo, está cheio, todos os belo-horizontinos estão aderindo. Não me decepcionei e certamente estará na minha agenda do ano que vem.”

Programe-se
Estação do samba
14h, Bateria das escolas de samba e blocos de BH; 16h, Nonato do Samba; 19h, Tradições do Samba; 22h30, Aline Calixto.

Bloco
Das 14 às 20h30, Bloco A Santê, Rua Mármore, em Santa Tereza.

Show
Das 15h às 20h30, Carnaviola, na Praça da Liberdade, Bairro Funcionários.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marco
Marco - 22 de Ferveiro às 12:55
SOCIEDADE BELORIZONTINA: APOIEM MAIS OS DESFILES QUE VOCÊS TERÃO UM GRANDE CARNAVAL. ESTE ANO DE 2012, AS ESCOLAS DE SAMBA MOSTRARAM QUE SE TIVEREM MAIS APOIO, A SURPRESA A CADA ANO SERÁ AGRADÁVEL. A ACADÊMICOAS DE VENDA NOVA MOSTROU ISSO. LEGAL E COM UMA BATERIA INOVADORA E COM UMA CADÊNCIA CARIOCA.
 
Paulo
Paulo - 21 de Ferveiro às 14:08
Absurdo!! Ha apenas 10 dias atras vimos a destruicao de parte da Praca da Liberdade em funcao de um Show ( Monobloco ).. Hoje novamente mais uma festa de carnaval ocorrera na praca. Sera que nao existem outros espacos na cidade ?
 
Salvatore
Salvatore - 21 de Ferveiro às 12:09
depois de assistir o carnaval do rio de janeiro e ver o de bh ...dá depressão !