Bloco arrasta multidão de banhistas, nadadores, surfistas e marinheiros pelo Centro de São João del-Rei

Corsos carnavalescos prometem varar a madrugada até levar foliões à exaustão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 410515, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Renato Weil/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2012/02/21/279236/20120221104644784805a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 21/02/2012 10:41

Glória Tupinambás /

Renato Weil/EM/D.A Press


Surfistas, mergulhadores, marinheiros, nadadores, banhistas... Não importa a fantasia, o que vale é estar pronto para se molhar e pular carnaval na água. Em São João del-Rei, no Campo das Vertentes, o bloco Vamos a La Playa arrastou, na tarde de ontem, uma multidão de biquíni, maiô, sunga e short pelas ruas da cidade. Pouca roupa no corpo, mas animação de sobra para espantar o calor e cair na folia, regada a mais de 15 mil litros de água, jogada do alto de um caminhão-pipa durante toda a festa.

A irreverência é o ponto alto do bloco, com mais de três décadas de história. Os amigos Jefferson Lucas, de 36 anos, e Luiz Antônio Marcelino, de 40, que o digam. Vestidos como típicos banhistas, de boia, sunga e óculos de natação, eles apostaram numa nova arma para paquerar: um revólver de água. "Estamos atrás das meninas de chapinha no cabelo. No primeiro esguicho d’água, elas ficam bravas, mas depois a raiva passa. Quem sabe assim não ganho um beijo?", brinca Luiz Antônio, que veio de Ouro Branco, na Região Central de Minas para curtir a festa em São João del-Rei.

Enquanto a multidão gritava freneticamente para o caminhão-pipa – "joga água, joga água" –, houve quem curtisse a festa num clima mais familiar. Com snorkel, máscara de mergulho, chapéu e sombrinha de praia, a professora universitária Zandra Miranda, de 41, se esbaldou ao lado da filha Tereza, de 8. "Esse bloco é um consolo para os mineiros sem mar. Nesse calor, nada melhor que o clima de praia", diz Zandra. A pequena Giovanna Lasmar, de 6, também se refrescou no bloco, de dentro de uma piscina improvisada na carroceria da caminhonete do pai. “Vou molhar todo mundo", avisava ela.

Depois de duas horas de concentração na Avenida Oito de dezembro, o bloco desfilou pelo Centro Histórico num percurso de mais de cinco quilômetros pela Praça Duque de Caxias, Largo de São Francisco, Rua Padre José Maria Xavier e Avenida Tiradentes. Animado por um trio elétrico e dois caminhões-pipa, o Vamos a La Playa aproveitou a festa para dar um puxão de orelhas nas autoridades. "Nosso tema deste ano pede pela limpeza do principal córrego da cidade: Lenheiro sem poluição para São João ficar melhor", conta o fundador do grupo, Tutti Fonseca, de 62 anos.

DESPEDIDA
O último dia de carnaval em São João del-Rei promete levar os foliões à exaustão. Nada menos que sete blocos desfilam hoje pelo Centro Histórico, bairros e distritos da cidade. Os primeiros a festejar a terça-feira gorda devem ser o Bloco do Pantanal, com concentração na Rua Getúlio Vargas, no Centro, e o Arroz com Vinagrete, no Bairro Tejuco, ambos a partir do meio-dia. À tarde, será a vez do Cura Ressaca, do Caixinha e do bloco Birinight. O grupo Unidos da Ponte desfila à noite e a folia da madrugada fica por conta do Cachaça Acumulada, cuja concentração está prevista para começar às 2h da quarta-feira de cinzas.

A festa de São João del-Rei é famoso por seus 42 blocos, que começaram a folia de momo ainda na primeira semana de fevereiro. Um dos mais charmosos é o Carnaval de Antigamente, que se concentra no Largo do Rosário, sempre aos domingos de carnaval. Com malabaristas, pernas-de-pau, palhaços, carros antigos enfeitados e simpáticos mascarados, o grupo difunde o tema "Preservar é preciso". As escolas de samba são outra atração na cidade. No sábado, desfilaram a corte momesca e as agremiações Irmãos Metralha, Bate Paus,Girassol e, no domingo, a Mocidade Independente do Bonfim, Unidos do São Geraldo e Vem me ver.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600