Realidade Virtual

Realidade virtual: tomar vacina nunca foi tão divertido para a garotada

Laboratório de BH implantou o uso de óculos de realidade virtual para amenizar o estresse


Hermes Pardini/Divulgação
Um dos principais laboratórios e referência em medicina diagnóstica e preventiva no Brasil, o Hermes Pardini caminha a passos largos com a onda de inovação que atinge o país. Com o propósito de solucionar um dos maiores medos infantis nos laboratórios – que é justamente a vacina – o grupo implantou, em algumas de suas unidades em Belo Horizonte, o uso de óculos de realidade virtual. Mas como essa ferramenta seria capaz de solucionar o medo e a dor das crianças quando são vacinadas? O objetivo é fazer a criança se sentir confortável e que ela esteja com a cabeça ocupada durante o processo de vacinação.
 
Quando chega para ser vacinada, a criança recebe os óculos especiais, sendo transportadas para um universo lúdico, em um vídeo 360 graus. Um amiguinho, um personagem semelhante aos de jogos de RPG on-line, aparece e solicita ajuda para se tornar um herói e salvar o reino habitado. A partir daí, a criança vê o personagem colocar uma espécie de “poder especial” em seu braço. Enquanto está entretida, o enfermeiro consegue acompanhar todo o vídeo de um computador e, assim, aplica-lhe a vacina na mesma hora em que o personagem põe o “poder especial” em seu braço.

HERÓI
Hermes Pardini/Divulgação
 
Durante todo o processo de vacinação, a criança se diverte com a aventura e, de certa forma, encara o medo da agulha e sai do laboratório com a sensação de ter, de fato, se tornado um herói. Pelo lado dos pais e profissionais, o método previne o estresse, por acalmar a criança, e facilita na hora da aplicação da vacina. A pediatra e coordenadora de vacinas do Hermes Pardini, Melissa Palmieri, comentou sobre o novo recurso e os resultados até então. “É a primeira vez que vejo, em 15 anos da minha atuação profissional com vacinas, que a realidade virtual pode transformar a dor em entretenimento.” Os pais também se mostraram muito satisfeitos com a aplicação dos óculos. “Foi a primeira vez que a Ana veio tomar vacina e não chorou. Normalmente, era aquela luta para fazê-la entrar na sala. Mas desta vez foi muito mais tranquilo”, conta a mãe, Maria Clara Lopes.
 
Os óculos de realidade virtual estão disponíveis nas unidades Hermes Pardini do Belvedere, Pampulha, Mangabeiras, Buritis e Savassi desde o 26 de Junho. Vale destacar que um par de óculos virtual itinerante circula pelas outras unidades da capital, ficando cerca de 15 dias em cada uma delas.

* Estagiário sob a supervisão da subeditora Elizabeth Colares

COMENTÁRIOS