Moda

Minas Trend terá desfile com roupas impressas em 3D

Empresa incubada no CEFET-MG imprime roupas 3D para grife mineira. Peças criadas a partir dos tecidos impressos na 3DLopes serão apresentadas durante o Minas Trend, que acontece de 4 a 7 de abril


CEFET/Divulgação
Dos croquis das estilistas, para a modelagem em 3D no computador, para a impressora, para as passarelas. Esse é o caminho seguido pela 3DLopes, empresa residente da Nascente, incubadora do CEFET-MG, em sua parceria com a grife mineira Plural. Daniel Lopes, cofundador da empresa, explica que a 3DLopes está realizando a impressão de quatro peças de roupa, a partir de poliuretano termoplástico (TPU, na sigla em inglês). 
 
A parceria surgiu de uma busca dos organizadores do Minas Trend por empresas que pudessem produzir roupas a partir de impressoras 3D, em uma tentativa de estabelecer um diálogo entre as áreas da moda e da tecnologia. “Eles tiveram uma dificuldade, pois esse processo é bem específico, diferente das peças já impressas tradicionalmente. Mas nós já conseguimos ótimos resultados em outros projetos e fomos contatados para esse desafio”, conta Daniel. “Fizemos uma reunião com representantes da Plural e do MODATEC, do Senai. Levamos algumas peças impressas e todos ficaram encantados pelas possibilidades”. De posse dos desenhos das roupas, a 3DLopes trabalhou com as estilistas na criação de modelos em 3D e posterior impressão.
 
O trabalho na empresa segue em ritmo acelerado para entregar as peças que serão desfiladas na coleção Primavera-Verão 2018 da Plural, durante a 20ª edição do Minas Trend, evento que acontece nos dias 4 a 7 de abril, no Expominas, em Belo Horizonte.
 

Nascente

CEFET/Divulgação
 
Desde 2015, a 3DLopes é uma das empresas incubadas na Nascente, no campus VI do CEFET-MG. A Nascente recebe empreendimentos de base tecnológica cuja proposta seja desenvolver produtos, processos ou serviços utilizando tecnologias inovadoras, com comprovada viabilidade técnica, econômica e mercadológica. A incubadora funciona como um instrumento de apoio e estímulo, planejada para orientar novos projetos.
 
Para o cofundador Daniel Lopes, a experiência tem sido muito proveitosa para o crescimento da empresa. “Estamos em uma ótima localização, temos infraestrutura, mentoria...”, detalha. “É um ecossistema muito bom para nós. Poder contar com o conhecimento do CEFET-MG – inclusive com estudantes da Instituição que são nossos estagiários – tem sido importante”.
 
Trabalhar com roupas é um novo desafio para a empresa, que vem, nos últimos meses, se especializando em outra área: a construção de próteses. Daniel estima que estejam produzindo uma prótese impressa por mês. Recentemente, eles desenvolveram uma prótese para o garoto Matheus Moreira, de 11 anos, que nasceu sem três dedos da mão esquerda e sonha em ser goleiro.


COMENTÁRIOS