Quinze startups são selecionadas para a segunda etapa do Lemonade BH 2


A peneira implacável levou mais da metade das 31 inscritas, mas 15 startups se classificaram estão na segunda etapa do Lemonade BH 2, o maior programa de pré-aceleração do Brasil. Serão três semanas com o conteúdo de planejamento financeiro, entrada no mercado e primeira venda. Entre as classificadas está a Gamelyst, que está sendo monitorada pelo Observatório de Startups do Big Ideia.

Antes da 'peneira', as 31 startups que participaram da primeira etapa do Lemonade trabalharam em validação de mercado, construção de um MVP e tiveram acesso a conteúdos e palestras com nomes como Israel Salmen, CEO da Méliuz, e Henrique Portugal, da banda Skank.

Realizado pela Fundepar, o Lemonade fomenta o empreendedorismo em Minas Gerais e é porta de entrada para a aceleradora de startups Techmall. Após as três ultimas semanas no Lemonade, as startups selecionadas apresentarão seu trabalho no Demoday, que acontecerá na primeira quinzena de março.

“A economia mineira precisa se diversificar e o empreendedorismo é o melhor caminho para isso. O Governo de Minas apoia iniciativas voltadas à inovação e o Lemonade é um grande programa, que vai continuar tendo o apoio do Governo do Estado”, afirmou o Subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Minas Gerais, Leonardo Dias. Além da Fundepar, o Governo de Minas, o Sebrae MG e a Fapemig são co-realizadores do Leomonade.

Entre os parceiros, estão as principais instituições de ensino do estado: UFMG, UEMG, CEFET, IBMEC, UNI BH, UNA, Faculdades Milton Campos, Puc Minas, Newton Paiva, Senai Minas, Escola de Formação Gerencial do Sebrae Minas.

Conheça as startups aprovadas para a segunda etapa do programa:

- Gamelyst;

Possibilita acesso a todos os games dentro de um catálogo a partir de uma assinatura mensal.

- Communitor;

Tecnologia para contagem automática dos ovos de mosquito depositados nas armadilhas georreferenciadas.

- Vulpi;

Plataforma online para encontrar desenvolvedores de software.

- Allugator;

Portal e aplicativo em formato marketplace que conecta as pessoas para alugarem diversos tipos de produtos entre si.

- Tá pronto;

Aplicativo para ligar produtores de comida caseira e consumidores.

- NextAgro;

Modernização no monitoramento do cultivo. O proprietário tem o controle do sistema todo pelo celular, utilizando comunicação por SMS e aplicativo.

- Capta Money;

O Portal reúne e centraliza tudo que existe em termos de captação de recursos financeiros em um único lugar e ao mesmo tempo presta diversos serviços ao sistema empreendedor brasileiro.

- Malalai;

Aplicativo que informa a rota mais segura para mulheres que se deslocam sozinhas, principalmente à noite.

- Vytre;

A Vytre busca adaptar o modelo de aceleração, muito popular no universo das startups, para o universo da moda.

- The best coffee;

Plataforma que conecta produtores de café brasileiros com compradores de café internacionais, permitindo maior rentabilidade pela venda da saca ao produtor, menor custo logístico e menor valor pago pela saca ao comprador, devido ao contato direto.

- Fresh to Go;

A proposta é espalhar uma rede de produtos saudáveis e prontos para consumo em pontos estratégicos das cidades como shoppings, academias, aeroportos, locais de grande circulação de pessoas.

- Playbor;

A primeira aceleradora de jogos digitais da América Latina.

- Chefex;

Uma plataforma web que disponibiliza chefs/menus para que o cliente escolha e contrate o chef para uma ocasião especial.

- Simplificasa;

Site para intermediar contratações de profissionais da área de construção civil pelos seus contratantes, que são em sua maioria pessoas físicas que fazem obras esporadicamente.

- Sociaid;

A ideia chave é intermediar relações de prestação de serviços e favores entre vizinhos.

- Jumpeer
Marketplace para trocas de acessórios femininos utilizando moedas virtuais. A Jumpper se propõe a ajudar as pessoas a renovar seus itens de vestuário. É um bazar virtual de trocas em que os itens de vestuário são oferecidos gerando um crédito na plataforma, os jumpps.

COMENTÁRIOS