Inscrições do Seed são prorrogadas em mais uma semana


Os empreendedores que deixaram tudo para a última hora ganharam mais uma semana de prazo para se inscreverem no Seed, o programa de aceleração de startups e capital semente do Governo de Minas Gerais. O plano original era encerrar as inscrições nesta quarta-feira, mas atendendo pedidos, o prazo foi prorrogado para o dia 10 de fevereiro. Para se cadastrar, basta visitar o site.


O Seed - sigla para Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development (desenvolvimento de ecossistema de startups e empreendedorismo), foi criado em 2013 e já acelerou duas turmas de startups, totalizando 73 empresas iniciantes, com empreendedores de 19 nacionalidades diferentes.


Como nós já havíamos falado por aqui antes, o Seed é uma excelente oportunidade para colocar sua ideia em prática: "O Seed é um programa de aceleração estratégico para o ecossistema de inovação do Estado. Ele cria um ambiente e impulsiona empreendedores do mundo inteiro. Ele tem startups mineiras, brasileiras e mundiais. Esse intercâmbio coloca Belo Horizonte no mapa global de inovação", explicou Leonardo Dias, subsecretário de subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado.


Entre os inúmeros atrativos para os participantes do programa, se destaca o capital semente livre de participação (equity free) "O governo não pega uma percentagem da sua empresa como uma aceleradora privada normalmente faria. As startups que passam por outros processos usualmente passam 10% ou mais das ações da empresa", destacou Jaderson Trindade, um dos organizadores das duas primeiras edições do Seed e membro da equipe de comunicação. "Além disso, não é preciso CNPJ para se inscrever. Nós apoiamos boas ideias e quem está começando não será penalizado por ainda não ter formalizado o negócio. Claro, quem já fez CNPJ também pode participar, sem nenhum tipo de restrição", completou.


Em 2016, o programa chega com novidades importantes: agora o sistema de verba não funciona mais por reembolso: o incentivo é concedido por antecipação, portanto os empreendedores podem gastar o dinheiro antes e só depois prestar contas. A contrapartida dos empreendedores também foi reduzida, de 10% para 5% do valor do investimento do do programa, que é de R$ 44 mil para cada startup selecionada e bolsas de R$ 2 mil mensais para cada empreendedor, até um máximo de três sócios por empresa.


COMENTÁRIOS