SIGA O EM

Segurança é reforçada nos EUA, por temor de atentado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 09/09/2011 10:01

Agência Estado

A capital dos Estados Unidos está aumentando a presença policial durante o 10º aniversário dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 e a ameaça de um novo ataque. A segurança foi reforçada por todo o país, após funcionários federais dizerem na quinta-feira ter recebido ameaças específicas e críveis, porém não confirmadas, sobre a possibilidade de um ataque terrorista.

Funcionários da área de segurança interna informaram que estavam investigando um plano de ataque com um carro-bomba da Al-Qaeda, voltado contra pontes ou túneis em Nova York ou Washington. Funcionários disseram que carros deixados perto de possíveis alvos serão guinchados.

A chefe de polícia de Washington D.C., Cathy Lanier, disse que seus comandados estarão trabalhando em turnos de 12 horas nos próximos dias. Em comunicado, ela disse que o aumento temporário na carga horária é "parte de nosso plano" e que "manter um senso de imprevisibilidade é essencial para o sucesso de qualquer plano de segurança".

Em Nova York, a segurança foi reforçada nesta sexta-feira, após o alerta do dia anterior. A mídia norte-americana informou que havia uma suspeita de um plano da Al-Qaeda, talvez para vingar a morte de seu líder Osama bin Laden mais cedo neste ano.

Um funcionário da Casa Branca confirmou que Obama havia "direcionado a comunidade de contraterrorismo em resposta a esta informação crível, mas não confirmada". Não foram divulgados detalhes, porém um funcionário dos EUA disse que um carro-bomba "estava no primeiro lugar do que estamos buscando".

A ABC News citou funcionários do setor de inteligência dizendo que havia um plano potencial envolvendo três indivíduos que entraram no país por ar no mês passado, com a intenção de realizar um ataque com um veículo, no próprio 11 de setembro ou em uma data próxima. Segundo a rede, o plano foi ordenado pelo novo líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600