19°/ 34°
Belo Horizonte,
30/SET/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Greve cresce e bancários fecham 8.527 agências no terceiro dia em todo o país

Marina Rigueira - Estado de Minas

Publicação: 20/09/2012 18:47 Atualização: 20/09/2012 18:54

No terceiro dia da greve nacional, bancários fecharam 8.527 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados nos 26 estados e Distrito Federal, de acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Em Belo Horizonte e Região, 78% das unidades de trabalho da Caixa Econômica Federal e 73% das agências e departamentos administrativos do Banco do Brasil, além de 258 agências de bancos privados paralisaram as atividades durante a quinta-feira em BH.

No primeiro dia de greve, terça-feira, 5.132 agências foram fechadas. Já no segundo dia as paralisações alcançaram 7.324 agências. O crescimento da greve nesta quinta-feira superou também o terceiro dia do movimento no ano passado, quando 7.672 unidades foram fechadas.

Os bancários reivindicam reajuste de 10,25% (5% de aumento real), valorização do piso salarial, PLR maior, mais empregos e fim da rotatividade, melhores condições de saúde e trabalho, mais segurança nas agências e igualdade de oportunidades.

"Os bancários estão cada vez mais indignados com o silêncio da Fenaban e, por isso, o movimento se amplia rapidamente a cada dia em todo o país. Os banqueiros não atenderam as reivindicações da categoria na mesa de negociação e agora estão sentido a força da mobilização”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional.

A Contraf-CUT enviou cartas à Fenaban e aos bancos no dia 5 para reafirmar que apostava no processo de negociação e aguardava uma nova proposta para ser apreciada pelas assembleias previamente convocadas para os dias 12 e 17, mas nenhuma resposta foi enviada pela Fenaban até o momento.

Os bancos apresentaram uma única proposta ao Comando Nacional no dia 28 de agosto, com reajuste de 6% (apenas 0,58% de aumento real), rejeitada pelos bancários em assembleias realizadas pelos sindicatos em todo o país.

Principais reivindicações dos bancários

- Reajuste salarial de 10,25% (aumento real de 5%).
- Piso salarial de R$ 2.416,38.
- PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos.
- Plano de Cargos e Salários para todos os bancários.
- Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.
- Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade.
- Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral
- Mais segurança
- Igualdade de oportunidades.





Tags: celular

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Teo Fernandes
Pela volta dos militares, assim como fizeram na década de 60 e que consertaram o país. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.