Publicidade

Estado de Minas

Pesquisador do Mackenzie registra explosões no sol que vão atingir a atmosfera da Terra


postado em 08/09/2017 08:45

O pesquisador da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Jean Pierre Raulin, professor e pesquisador de Radioastronomia e explosões solares, registrou ações solares pelos instrumentos do Observatório Solar Mackenzie, na sede do centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie (CRAAM) da Universidade. O instrumento responsável pela detecção é o telescópio solar H-alpha, que marcou um clarão brilhante na região 12673 do astro.

O Sol teve um período de atividade importante entre os dias 4 e 5 de setembro de 2017. Isso se deve ao crescimento rápido do tamanho e da complexidade magnética de uma das regiões ativas presentes no disco. Assim, a região numerada 12673 dobrou o seu tamanho nas últimas 24 horas. Como resultado observou-se uma serie de surtos solares.

O primeiro fato ocorreu quando uma grande quantidade de massa solar foi ejetada do disco às19h UT (Tempo Universal) do dia 4 de setembro. Um outro evento maior, oriundo da mesma região ativa solar ocorreu hoje, 05 de setembro, às 17h43 UT, classificado como evento M2 (classificação do satélite GOES).

A massa irá viajar pelo meio interplanetário até atingir a Terra uns 2 a 3 dias depois entre os dias 6 e 8 de setembro, quando poderá acontecer efeitos na nossa atmosfera terrestre. A nuvem magnética poderá trazer para o nosso Planeta tempestades geomagnéticas, proporcionando apagões e perturbações nas telecomunicações.


Jean Pierre Raulin é doutor em Física, professor e pesquisador de radioastronomia e explosões solares da Universidade Presbiteriana Mackenzie. É membro da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), da Royal Astronomical Society (RAS) e da International Astronomical Union (IAU).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade