Publicidade

Estado de Minas

Infográfico revela hábito e comportamento digital do produtor rural

Dentre as mais utilizadas podemos destacar 3: com 96% está o WhatsApp, com 67% o Facebook e com 24% o YouTube.


postado em 03/08/2017 14:30

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Os hábitos dos produtores rurais estão mudando numa velocidade tão rápida quanto as inovações relacionadas ao agronegócio. Esse público tem se posicionado com uma presença cada vez mais forte no mundo digital, principalmente nos últimos 4 anos, e o que mais tem contribuído para essa revolução digital é o uso cada vez mais frequente da internet, que ocorreu graças à ampliação desse recurso no campo.


O infográfico com um breve resumo de uma pesquisa sobre os hábitos do produtor rural nos mostra o raio-x desse setor e como aproveitar essa fase para atrair mais clientes e fechar mais negócios. Vamos ver com mais detalhes alguns dados que evidenciam essas mudanças tecnológicas em um setor tão tradicional. Com a evolução da tecnologia, cada vez mais pessoas têm acesso à informação e à possibilidade de criar laços fortes, mesmo com pessoas e empresas que estão do outro lado do mundo.

A 7ª Pesquisa de Hábitos do Produtor Rural - ABMRA referente ao ano de 2017 trouxe dados valiosos para empreendedores que estão preocupados em inovar e expandir suas fronteiras na agroindústria. O que mais chama a atenção dentre tanta informação, é exatamente o comportamento digital do agricultor. Normalmente quando pensamos em agronegócio o digital não passa por nossa cabeça.


Dentre os dados que mais se destacam está o incrível salto no uso de dispositivos móveis pelos agricultores, afinal, o setor teve um aumento de 48% em apenas 4 anos, os dados indicam que em 2013, cerca de 13% dos produtores rurais fazia o uso dessa tecnologia, já em 2017 esse número passou para 61%.


Indo mais fundo nesses dados, a pesquisa sobre os hábitos digitais dos agricultores mostra que destes 61%, cerca de 96% fazem uso ativo e constante de pelo menos 1 rede social. Dentre as mais utilizadas podemos destacar 3: com 96% está o WhatsApp, com 67% o Facebook e com 24% o YouTube.


Essas redes sociais têm um aspecto em comum muito importante: o poder de influência indireta na decisão do consumidor, por isso é importante estar atento às necessidades desse público cada vez mais crescente e mais conectado.


Os agricultores estão cada vez mais sedentos de tecnologia rural, por isso é necessário dar o que eles precisam no lugar que eles estão começando a frequentar com mais peso, a internet.


Visto que a maior parte deles faz uso de redes sociais pelo menos 1 vez ao dia, é importante criar estratégias que alcancem esses usuários de forma sutil através de um marketing de conteúdo forte e voltado para as necessidades de cada perfil.


Além de propagar informações do interesse desse público através de artigos bem escritos, também é possível trabalhar em cima de uma estratégia mais visual com a criação de vídeos instrutivos, curtos e práticos que possam ser facilmente compartilhados nas principais redes sociais.


A pesquisa sobre os hábitos dos consumidores nos ajuda a entender que tipo de conteúdo específico cada perfil de produtor rural está interessado, esses dados aliados à um bom planejamento estratégico voltado para a internet será um fator decisivo para conseguir criar uma ponte virtual com cada possível cliente.


Visto que as pessoas desse setor em especial estão cada vez mais conectadas ao mundo virtual, é necessário dar uma atenção especial à esse mercado carente que está em constante expansão rumo à uma revolução total nos hábitos digitais. A empresa que souber sentir e acompanhar esse momento tão importante, sairá na frente para um futuro cada vez mais presente no nosso dia a dia.


Para mais informações, acesse: http://blog.agribase.com.br/comportamento-produtor-rural/



Website: http://blog.agribase.com.br/comportamento-produtor-rural/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade